Construção civil e meio ambiente

A construção civil impacta o meio ambiente ao longo de toda a sua extensa cadeia produtiva, desde a extração de matérias-primas, passando pela produção e transporte de materiais e componentes e chegando à execução, sem parar por aí. Embora cada etapa tenha seus impactos, a operação de um empreendimento concentra um potencial de impacto ainda mais elevado.

 

Afinal, as construções têm diferentes níveis de eficiência energética e de uso da água. Além disso, ao final da vida útil de uma edificação os resíduos também têm alto potencial de impacto ambiental. Devido ao alto grau de complexidade, é preciso que a sustentabilidade na construção civil seja abordada de maneira abrangente e sistêmica.

Sustentabilidade em projetos de engenharia e arquitetura

Para que uma edificação seja considerada sustentável deve primeiro quantificar impactos ao meio ambiente e à saúde humana. Feito isso, é necessário que incorpore tecnologias capazes de mitigar os impactos, resultando em edificações que consumam menos energia, água e outros recursos naturais.

Projetos sustentáveis consideram o ciclo de vida de todos os materiais utilizados. Um projeto sustentável é, em geral, desenvolvido por equipe multidisciplinar integrada e coordenada por um especialista em sustentabilidade. O projeto sustentável começa a ser desenvolvido após a identificação das demandas dos usuários do edifício, do entorno e do clima.

Desenvolvimento sustentável na Construção Civil

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, os desafios para o setor da construção civil quanto à sustentabilidade têm a ver com a redução e otimização do consumo de materiais e energia, com a redução dos resíduos gerados, a preservação do ambiente natural e a melhoria da qualidade do ambiente construído. Assim, o Ministério recomenda:

  • mudança dos conceitos da arquitetura convencional na direção de projetos flexíveis com possibilidade de readequação para futuras mudanças de uso e atendimento de novas necessidades, reduzindo as demolições;
  • busca de soluções que potencializem o uso racional de energia ou de energias renováveis;
  • gestão ecológica da água;
  • redução do uso de materiais com alto impacto ambiental;
  • redução dos resíduos da construção com modulação de componentes para diminuir perdas e especificações que permitam a reutilização de materiais.