Fazer um financiamento com algum banco é um caminho para a conquista da sua casa própria. Mas você precisa saber o que encontrará pela frente! Afinal, passar por uma análise de crédito, guardar o dinheiro da entrada e encontrar um imóvel com toda a documentação necessária são alguns desafios deste processo, que às vezes parece difícil, mas que só precisa de um bom planejamento. É muito importante prestar atenção em todas as etapas do financiamento de imóvel. Assim, você evita transtornos ao longo dos pagamentos e garante que a sua casa própria ou apartamento será seu sem prejuízos.

Confira agora os 6 passos para entrar em um financiamento e comprar a sua casa!

1 – Entender como funciona
Mesmo que você tenha conta em outro banco, o financiamento feito pela Caixa ainda é a melhor opção porque traz as menores taxas de juros do mercado. Então, antes de pedir a aprovação no banco onde você tem conta corrente, procure saber um pouco mais sobre o serviço de financiamento de imóvel da Caixa.

2 – Simular os valores do financiamento
Para financiar a sua casa você terá que dar um valor de entrada do imóvel, além de pagar parcelas durante um longo período – na Caixa, por exemplo, o financiamento de imóvel pode ser paga em até 35 anos. Por isso, é importante ter uma ideia de quanto será a entrada e quais serão as parcelas levando em conta a sua renda e o preço do imóvel que você escolheu.

3 – A entrada
Quando fizer a simulação, provavelmente você encontrará um valor de entrada alto, de R$ 20 mil ou mais. Não se assuste. Lembre que o planejamento é um passo essencial para o seu sonho sair do papel. Com atitudes simples você consegue cortar gastos e aumentar a sua renda. Se com estas mudanças você fizer sobrar R$ 180 por mês, isso significa que você terá mais de R$ 2 mil em um ano e quase R$ 6.500 em três anos! Vale saber também que você pode usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para dar como entrada no financiamento.

4 – Formalizar sua renda
Deposite em uma conta bancária todo o dinheiro que você ganha, principalmente se você tem mais de uma fonte de renda. Com o extrato da movimentação da sua conta, o banco consegue comprovar que você recebe o dinheiro que declarou ter. Além disso, se você trabalha informalmente, pense em abrir uma empresa como Microempreendedor Individual (MEI). O MEI é a forma mais barata e rápida de ter um CNPJ, sem contar que você garante benefícios como aposentadoria e auxílio doença.

5. Encontrar um imóvel
Assim que começar o planejamento para ter o dinheiro da entrada, já comece a procurar a casa ou o apartamento que gostaria de comprar. Isso porque você precisa de tempo e muita pesquisa para encontrar um imóvel no valor que procura e com a documentação em dia. Importante: os bancos não financiam imóveis sem escritura. Então, caso decida comprar um usado, preste muita atenção nisso. Verifique também se a casa ou o apartamento não têm dívidas ou se a documentação está irregular.

6 – Documentos para fazer um financiamento
Finalmente, quando conseguir a aprovação do financiamento, o banco pedirá uma lista de documentos para dar entrada no contrato. Quem quiser agilizar esse processo, pode ir atrás da documentação desde já!

Deixe nos comentários qual a melhor opção em sua preferencia: Financiar, construir ou alugar.