Blog

O que é EPI e qual a sua importância?

EPI são equipamentos de proteção individual. Qualquer atividade que possa apresentar algum tipo de risco seja físico ou químico deve ser realizada com o auxílio dos equipamentos de segurança a fim de garantir a saúde e proteção ou integridade física do trabalhador (colaborador). Além disso, o EPI (Equipamento de Proteção Individual) evita que o trabalhador se exponha a riscos que ocasione doenças ocupacionais.

Leia mais

Como fazer a fundação passo a passo

A fundação de uma casa é a base dela, portanto é muito importante que ela seja construída da forma correta, para suportar o peso e fixar a construção. Muitas pessoas procuram dicas como fazer uma fundação para casa, mas, antes de tudo é preciso que você decida qual será o tipo de fundação apropriada para a sua construção.

Leia mais

Quer decorar seu quintal? Confira essas super dicas!

O quintal é geralmente deixado por último na decoração dos ambientes de uma casa, mas esse cantinho está se tornando uma parte fundamental nas residências de famílias que gostam de receber os amigos para fazer um churrasco ou tomar banho de piscina.

Mais do que uma simples área aberta, o quintal pode se transformar em uma extensão da sala de estar e ganhar mais status dentro da rotina diária da casa, além de diminuir a temperatura do ambiente e proporcionar frescor aos ambientes internos da residência.

Pensando nisso, nós da Engenharia Ponto, selecionamos algumas ideias de decoração de quintal para você se inspirar e fazer dele o seu cantinho verde e de diversão predileto em casa. Vamos lá?

1 – Escolha o piso

Decoração do Piso

Decorando Casas

Escolha pisos antiderrapantes para o seu quintal, feitos de materiais duráveis e seguros, principalmente se tiver crianças e idosos em casa. É possível encontrar facilmente diversos tipos de piso para quintal, como a grama sintética, a lajota ecológica, o porcelanato, a cerâmica, o piso de concreto e o piso de pedra.

Na área da piscina, colocar um piso antiderrapante é fundamental para evitar quedas e acidentes. Você pode optar por colocar uma piscina com deck para valorizar ainda mais o seu quintal.

2 – Invista em móveis confortáveis e duráveis

Uma dica é comprar móveis confortáveis para receber bem os seus convidados e deixá-los bem relaxados. Invista em bancos, banquetas, poltronas e até sofás de fibra natural ou plástico, que podem ser muito aconchegantes.

Decoração

Pixabay

O quintal de casa pode ser decorado também com móveis com madeira tratada para suportar bem a chuva, o sol e se manterem bonitos e bem preservados.

3 – Decore com muito verde

Verde na Parede

Decorando Casas

Não deixe de decorar o seu quintal com plantas e flores para trazer a natureza para dentro da sua casa. Jardins com pedras e materiais reciclados estão na moda.

Você pode valorizar o seu quintal com materiais reutilizados, como reaproveitar grades antigas para fazer suporte para vasos com plantas, por exemplo. Em áreas menores, o mais indicado é montar um jardim vertical feito com pallets ou vasos.

4 – Coloque luzes e cores

Decoração Colorida

Casa.com.br

O efeito visual causado por luzes e cores irá fazer a diferença no quintal da sua casa, em qualquer época do ano. A utilização de tonalidades diferentes, seja na pintura das paredes, nos azulejos ou nos objetos de decoração, vai trazer mais vida ao ambiente.

Invista em objetos de decoração que sejam confortáveis, práticos e bonitos ao mesmo tempo, como almofadas, luminárias, toalhas de mesa, utensílios de cozinha e churrasqueira, etc.

Falta pouco para a área de lazer da sua família ficar pronta! Se quiser que o quintal fique integrado ao restante da casa, opte por retirar uma parede e colocar uma porta de vidro deslizante para unir o espaço do quintal com a sala de estar.

Agora que você já viu as ideias de decoração de quintal para você se inspirar, é só colocar em prática. Aproveite e compartilhe com os seus amigos nas redes sociais as nossas dicas. Até o próximo post!

Leia mais

O que é e para que serve o Habite-se?

Ao ser concedido o Habite-se, o proprietário tem a garantia de que a construção seguiu corretamente tudo o que estava previsto no projeto aprovado e em eventuais substituições aprovadas pelos órgãos responsáveis

 

Quem compra um novo imóvel costumam ouvir uma palavra quando chega o momento do recebimento da unidade adquirida: o Habite-se. Este é um documento concedido pela prefeitura da cidade onde o empreendimento imobiliário se encontra localizado, após a sua conclusão e posterior fiscalização pelos órgãos municipais competentes.

O significado desse documento, que é emitido tanto para prédios recém-construídos como para aqueles que passam por reformas, compreende a confirmação pelo poder público de que o edifício está pronto para receber seus ocupantes. Ou seja, é uma certidão que autoriza o imóvel recém-construído ou reformado ser ocupado.

Nesse sentido, ao ser concedido o Habite-se, o proprietário tem a garantia de que a construção seguiu corretamente tudo o que estava previsto no projeto aprovado e em eventuais substituições aprovadas pelos órgãos responsáveis. E também de que cumpriu a legislação que regula o uso e ocupação do solo urbano, respeitando os parâmetros legais quanto à área de construção e ocupação do terreno, além de outros parâmetros exigidos, como a legislação que especifica as normas de combate a incêndios, por exemplo.

Além de cometer um equívoco, o proprietário que muda para um imóvel que não recebeu a devida autorização da prefeitura ainda está sujeito a multa em função de o Habite-se não ter sido liberado, assim como sofrerá as consequências no futuro, quando for se desfazer do imóvel, uma vez que a venda poderá até mesmo ser inviabilizada.

Da parte do construtor, este tem que cumprir uma série de requisitos para obtenção do Habite-se antes de dar entrada no pedido de concessão, como os atestados das concessionárias de água e energia elétrica e do Corpo de Bombeiros, que comprovam a correta funcionalidade das instalações hidráulicas, sanitárias, elétricas e de combate a incêndios. Após a solicitação, deverá aguardar a vistoria, onde será checado se o prédio foi construído segundo o projeto inicialmente aprovado, o que pode resultar no indeferimento, caso não tenha sido executado corretamente.

Isso mostra que a preocupação com o Habite-se não tem a conotação meramente formal, referente à regular documentação do imóvel. Mas também é relacionada diretamente à segurança dos futuros moradores, uma vez que instalações elétricas inadequadas ou instalações de combate a incêndios insuficientes podem resultar em futuros incidentes que podem ameaçar a integridade dos ocupantes.

Cabe esclarecer que a existência de contas de água, luz e telefone não garantem a correta regularização do imóvel junto à municipalidade. Nem mesmo a cobrança de IPTU, por meio de correspondente carnê, comprova que o Habite-se do empreendimento foi concedido.

Do ponto de vista da transmissão da propriedade do imóvel, feita no cartório de registro de imóveis, é indispensável a certidão do Habite-se, sem a qual não é possível a averbação da construção, inviabilizando ainda a concessão de financiamento bancário.

Por derradeiro, não é demais alertar quanto ao aspecto mercadológico, haja vista a notória desvalorização que o imóvel encontra no momento de uma eventual venda em decorrência da situação irregular em que se encontra. Isso demandará esforços e recursos financeiros para adequá-lo à normalidade, além do que não pode receber financiamento nem receber alvará para funcionamento de atividades comerciais.

Leia mais
× Converse conosco!